Protótipo de design

Gestão Descentralizada e Soluções de Gestão

Ela auxilia o empreendimento a cortar gastos e a aumentar sua agilidade.


Dessa forma, os times poderão atender a demandas e solucionar problemas com menos tempo. Além disso, a companhia terá flexibilidade para lidar com vários desafios sempre.

Sendo assim, a gestão descentralizada é uma ferramenta importante para o controle mais apurado dos processos que são previamente determinados na empresa, buscando sempre atingir as metas idealizadas.

O QUE É GESTÃO DESCENTRALIZADA?

A gestão descentralizada é uma estratégia em que os times trabalham com maior autonomia, ou seja, as decisões podem ser realizadas por mais pessoas. E tudo isso é possível graças a um processo operacional menos burocrático e mais focado em resultados.

Nesse tipo de gestão, o negócio tem uma rotina decisória simplificada, na qual as equipes podem decidir o que é melhor para cada situação sem ter que sempre consultar os líderes. Assim, eles podem direcionar a atenção para questões prioritárias, e o cliente terá a certeza de que as suas demandas serão sempre atendidas de acordo com o que for melhor para todos.

A autonomia para a resolução de problemas dentro da gestão descentralizada é o que torna a estratégia eficaz, uma vez que os colaboradores envolvidos na decisão têm mais proximidade com o conflito e maior abertura ao diálogo. Além disso, a adequação real às necessidades levantadas é possível através de um nível elevado de discussão em equipe.

COMO ESSE MODELO DE GESTÃO SE DIFERENCIA DA GESTÃO CENTRALIZADA?

A maior diferença de um modelo de gestão descentralizado para um centralizado é o ponto em que a decisão é tomada, ou seja, o nível hierárquico. No caso da gestão tradicional, o líder deve autorizar cada medida. Ou seja, investimentos, mudanças de processos e ações do cotidiano precisam ser validadas pelo chefe do setor antes de serem executadas.

Já na gestão descentralizada, as equipes trabalham com maior autonomia, o que se traduz em um fluxo de trabalho flexível e ágil.

Dessa forma, a organização pode resolver eventuais problemas e demandas com prazos menores: o time não precisará escalar uma decisão em uma longa cadeia operacional para que seja aceita e executada.

Esse processo tende a ser mais eficiente principalmente nas grandes corporações, nas quais o tempo para definir uma ação pode se estender caso a tomada de decisão seja centralizada e passe por diversas hierarquias até ser aprovada. Isso leva a consequências indesejáveis e perda de prazo, entre outros prejuízos.


COMO É POSSÍVEL APLICAR A GESTÃO DESCENTRALIZADA NA EMPRESA?

Diversas estratégias devem ser desenvolvidas para implementar a gestão descentralizada. Acompanhe conosco a seguir.

TER UMA COMUNICAÇÃO ALINHADA COM A EQUIPE

Uma gestão descentralizada deve ser pautada na clareza das informações discutidas, na objetividade das tomadas de decisão e principalmente na confiança mútua entre gestores e funcionários.

Por isso, a comunicação precisa ser eficaz e alinhada com o nível de conhecimento da equipe e suas principais características, para que o processo seja fluido e aprimorado ao longo do tempo de convivência.

CAPACITAR LÍDERES

É fato que algumas pessoas têm uma liderança que se manifesta de forma natural, mas há características de liderança que podem (e devem) ser aprimoradas e adaptadas com a maturidade e o tempo de experiência na empresa. O fato é que esse perfil é a peça-chave de uma gestão descentralizada.

Por isso, a capacitação de líderes é uma meta essencial para descentralizar a gestão de forma alinhada à missão e à visão da empresa, e deve ser continuamente lapidada por meio de cursos e imersões comportamentais.

TER UMA EQUIPE VOLTADA PARA O CRESCIMENTO DA EMPRESA

Foi-se o tempo em que o crescimento da empresa era assunto apenas de gestores. que se importavam com a lucratividade e a sustentabilidade financeira do negócio.


Atualmente, muitos colaboradores “vestem a camisa da empresa”, pois seus ideais são compatíveis.

Por isso, o gestor deve perceber essa característica nos colaboradores e motivar a equipe para juntos promoverem o crescimento da empresa, realizando projetos e atingindo as metas em períodos antecipados e comemorando cada vitória ao longo da trajetória empresarial.

QUE BENEFÍCIOS A GESTÃO DESCENTRALIZADA GERA?

Esse modelo de gerenciamento gera muitas vantagens para a empresa. Por isso, confira a seguir alguns dos benefícios que estão relacionados a essa estratégia e como ela mantém o negócio mais competitivo.

1. LIDERANÇA DEMOCRÁTICA

A distribuição de responsabilidades é um ponto muito importante para qualquer empreendimento, pois garante que todos estarão a postos quando for necessário. Além disso, minimiza riscos e as chances de falhas no processo de trabalho.

Com a gestão descentralizada, a companhia terá um número maior de pessoas capazes de planejar e tomar decisões. Além disso, as escolhas serão feitas em conjunto, evitando que alguma mudança não seja implementada por completo.

Ademais, a liderança democrática proporciona mais aceitação das sugestões dos colaboradores, e essa oportunidade garante mais engajamento e satisfação em contribuir com a empresa.

2. MAIOR DIVERSIDADE DE IDEIAS NAS TOMADAS DE DECISÃO

A diversidade de ideias no processo de tomada de decisão também é importante, já que traz soluções mais ágeis. Ao mesmo tempo, maximiza o nível de inovação existente e aumenta as probabilidades de sucesso na implantação de medidas.

Afinal de contas, sempre que alguma escolha for feita, a empresa terá uma equipe com múltiplos saberes para identificar o que deve ser realizado. No entanto, para que isso seja possível, é importante que o time esteja bem integrado.

Portanto, além de descentralizar o processo decisório, também é preciso atuar para ampliar o nível de integração. Nesse sentido, algumas medidas para a obtenção e organização das ideias são bem-vindas, como o brainstorming, por exemplo.

3. MENOR ROTATIVIDADE NAS EQUIPES

Uma equipe pouco motivada pode ser um problema para o negócio, pois gera maior rotatividade nos times. Isso prejudica a integração e reduz os lucros para a organização, visto que o gestor deverá direcionar verbas para treinamentos regularmente.

Com a gestão descentralizada, pode-se diminuir drasticamente a rotatividade do time. A partir do momento em que as equipes são incentivadas a tomar mais decisões, elas ficarão mais engajadas nos processos internos.

Como consequência, a capacidade de manter o colaborador integrado ao negócio será muito maior, além de garantir mais produtividade ao serviço, menor absenteísmo e um real engajamento dentro do ambiente de trabalho.


4. AUMENTO DE ENGAJAMENTO DOS PROFISSIONAIS

O engajamento traz benefícios que vão além da habilidade de reduzir a taxa de rotatividade interna: ele também amplia as receitas da companhia, pela melhoria dos índices de produtividade. Junto a isso, evita que mudanças não sejam implementadas por completo. Afinal de contas, os times estarão mais focados nas decisões e nas metas do negócio.

Quando os colaboradores entendem a relação de seu trabalho com o todo, elas ficam mais motivados e produtivos, o que aumenta os resultados da empresa. Nesse sentido, eles se sentem parte de algo maior, trazendo medidas ousadas e mais promissoras, que serão constantemente compartilhadas.


Assim, surgirão ações diferenciadas que contribuirão para o aumento da competitividade da empresa no mercado.

5. MAIOR SATISFAÇÃO DO CONSUMIDOR

A satisfação do consumidor também costuma ser maior para empresas com times descentralizados. A partir do momento em que há uma equipe diversificada e com autonomia, as demandas são atendidas com mais agilidade. Além disso, cada profissional poderá focar mais no atendimento às requisições de seus clientes.

Como consequência, o negócio ficará reconhecido pela qualidade da relação que estabelece com seus consumidores. Além de facilitar a geração de vendas, isso também contribuirá para fidelizar o cliente, pois, com um atendimento mais autônomo, o profissional pode personalizar mais a abordagem.

Outro ponto importante é que a descentralização da gestão contribui significativamente para a melhoria do clima organizacional e do estabelecimento da cultura institucional, o que reflete externamente para o cliente, aumentando ainda mais a sua satisfação.

O QUE AVALIAR AO IMPLEMENTAR UMA CULTURA DE GESTÃO DESCENTRALIZADA?

Para implementar uma cultura de gestão descentralizada, alguns passos devem ser tomados. Eles precisam sempre considerar o perfil da empresa e seu posicionamento no mercado. As medidas incluem ideias como:

  • análise do perfil do negócio;

  • levantamento de problemas existentes;

  • identificação do que pode ou não impedir a companhia de funcionar com qualidade;

  • reformulação de rotinas;

  • treinamento de equipes;

  • aplicação de indicadores de performance;

  • investimento em soluções de gestão.

O mercado brasileiro é conhecido por sua alta competitividade, então, para se destacarem, as empresas precisam de foco e de um bom planejamento.


Além disso, é necessário reduzir erros e desenvolver a flexibilidade sempre.

A gestão descentralizada, nesse contexto, surge como um meio de evitar que problemas ocorram e de garantir que a companhia esteja preparada para lidar com qualquer desafio. Isso porque aumenta a flexibilidade e a capacidade de inovar.


Outro ponto importante é que esse tipo de gestão reduz conflitos e problemas que prejudicam a produtividade do time.

Portanto, sempre busque na gestão descentralizada um meio de deixar o negócio alinhado com as tendências de mercado e as demandas dos clientes. Com o apoio das ferramentas corretas e de uma cultura inteligente, a companhia poderá reduzir riscos e maximizar sua habilidade de criar oportunidades de vendas.

A gestão descentralizada é uma proposta vantajosa dentro de um ambiente empresarial, pois facilita as tomadas de decisão, otimiza os processos e garante mais autonomia dos colaboradores diante de um liderança democrática.


Os resultados são um time bem qualificado, alta produtividade e grande percepção do cliente frente ao clima coeso e saudável instituído internamente.

5 benefícios da gestão descentralizada em relação à centralizada